Etapa 13 – O que sobe também desce

Colocado em 21 de Junho, 2016 | 0 comentários

6h da manhã, hora de alvorada. Preparam-se os sacos é para pequeno almoço para dar a energia necessária para dar conta das primeiras subidas do dia.
Começámos logo na saída da povoação, com uma subida em piso de alcatrão.
Mais uns quantos quilómetros de subida por terra e alcançamos um casal espanhol que também tinha pernoitado no mesmo albergue que nós. Foi nessa que chegou a primeira prenda do dia: uma descida alucinante, com vista para o vale à nossa direita.
O percurso de hoje resume-se na realidade a sucessivas paredes para subir, seguidas de vertiginosas descidas (em alcatrão, estradões e single tracks).
É no fim de uma das mais íngremes e longas subidas de hoje que surge uma espécie de oásis neste calvário de subidas. Refiro-me ao Rincón del Peregrino, que fica em Albergaria. Trata-se de um bar que está repleto de conchas de vieiras nas paredes e tecto. Cada cliente / visitante tem direito a escrever o seu nome e a data da visita ao bar numa dessas conchas wiw será mais tarde afixada num dos poucos lugares que ainda têm espaço.
Os últimos quilómetros antes de Ourense foram os mais decepcionantes do dia. Muitos quilómetros em descida por alcatrão a que se juntou a travessia de uma zona industrial muito desagradável.
Chegados a Ourense dirigimo-nos ao albergue municipal. Depressa fomos informados de que as bicicletas teriam de ficar na rua, num estacionamento para o efeito. Claro que isso estava fora de questão e foi no café Acapulco ali mesmo ao lado que por 1€, encontrámos à solução. O dono do café cobra esse valor para guardar uma bicicleta numa grande garagem na cave do edifício.
Este é um daqueles albergues com muito boas condições (ainda que com espaço para melhorias), mas que tem à sua entrada alguém que não poderia estar menos preocupada com os peregrinos. À entrada do albergue estava um senhor desde há umas horas a aguardar autorização para se instalar. Como vai começar o Caminho em Ourense, dizem as regras do albergue que só às 18h poderia entrar. Tendo em conta que o albergue não tinha nem 1/3 da sua capacidade utilizada, não teria sido assim tão custoso instalar o senhor.
Para variar um pouco a rotina da tarde, hoje metemo-nos num comboio turístico em direção a umas termas de água quente que existem junto ao rio Minho em Ourense. É um pequeno paraíso que os residentes sabem aproveitar bem.

Amanhã é a nossa penúltima etapa antes de chegarmos a Santiago. Com o avanço de quilómetros que estamos a conseguir acumular, já não vamos pernoitar em Cea. O objetivo agora é A Laxe ou eventualmente Silleda, deixando assim poucos quilómetros para à etapa de chegada a Santiago. Como sempre, o que é bom termina depressa e aproximando-nos a passos largos do final de mais uma edição do projeto Rumo a Santiago, com a chegada a Braga programada para o próximo dia 24 de Junho.

image

image

image

image

image

image

image

Deixe um Comentário